A Linguagem influencia mais que o desenvolvedor?

Um colega de trabalhado, Felipe Campos, me enviou uma excelente apresentação que fala sobre a força do PHP.

Há uns dias atrás, o mesmo colega enviou o link de um post do José Milagre do Portal Imasters que causou um debate sobre a escolha entre PHP ou .NET.

Alguns programadores preconceituosos dizem que o PHP serve para trabalar com POG. Mas, você que programa em PHP se considera um moleque? Ou um programador que só faz gambiarras?

Eu não!
Sempre modelo minhas UMLs, estou migrando agora para MVC com a ajuda dos FrameWorks(comecei pelo CodeIgniter, mas estou querendo trabalhar com o ZendFramework).
E vão me dizer que é uma linguagem ruim, que só funciona com gambiarras ou é coisa de moleque?

Saiba que um dos portais de mais acesso no mundo é feito em PHP, o famoso compartilhador de vídeos YouTube.
O G1, portal de notícias da Rede Globo, com um dos melhores conteúdos na rede utiliza WordPress, um CMS também em PHP, em muitos blogs(senão todos).
O mesmo CMS é utilizado no site do Ministério da Cultura.
E milhares de outras ferramentas pela rede são criadas com o PHP.

O Felipe faz uma brincadeira com um print do ORKUT(feito em .NET) que exibe um erro.

Outro dia, recebi um email-marketing do maior e-commerce brasileiro, o Submarino e nele possuia um link que exibia erros absurdos em .net(até hoje este link possui falhas, confira). A falha é tão grande que deixa à mostra o endereço completo de algumas DLLs.
Imagine quantas pessoas não encontraram este erro? O Mailing deles deve ser enorme e desde que recebi este email(dia 8/12) está com esta falha.

Eu não acredito que seja um problema da linguagem, mas sim do desenvolvedor.

O que eu quero mostrar nesse post é que a ferramenta em si pode ser construída em qualquer linguagem. Se temos um desenvolvedor que conhece a fundo e sabe o poder da linguagem, ele vai construir excelentes ferramentas.

A minha linguagem predileta e que tenho mais domínio é o PHP. Infelizmente pseudo-desenvolvedores queimaram a linguagem e o mercado se desvalorizou. O .NET cresceu e o RoR está na moda.

Ambos são FrameWorks e não apenas linguagens de programação.
O .NET tem a vantagem de exportar uma DLL compilada, mas as 3 linguagens são poderosas.

Os FrameWorks com o Design Patterns MVC estão cada vez mais na moda. Eu já estou migrando.
E você? Já utiliza um FrameWork?

Você tem preconceitos com alguma linguagem de Programação? Qual? Por quê?

Dê uma olhada na apresentação de uma palestra do Felipe Ribeiro e deixe sua opinião nos comentários.

25 ideias sobre “A Linguagem influencia mais que o desenvolvedor?

  1. G1 nunca usou WP e nem vai usar, o WordPress não suporta um portal do tamanho do G1 talvez o Drupal de conta do recado. Veja no source do portal escrito OAS (Oracle Application Server) o WP não suporta Oracle só o Vignette que usa Oracle e serve para portais grandes.

    • Olá Matheus, agradeço seu comentário.

      Realmente o G1 é feito em Vignette(Java + Oracle)

      O que eu quis dizer no post, é que alguns Blogs da Globo são feitos em WordPress, como os do BBB e de alguns jornalistas da Globo.

      Além disso, existem muitos blogs com tanta audiência quanto o portal G1 como o Kibe Loco, Jacaré Banguela, Brogui e etc que são feitos em WordPress PHP e MySQL.

      Abs

      • Aos 11:45 da palestra

        o Igor Macabeu, do G1, afirmou que "…por que o java, o weblogic é uma ferramenta que serve para uma coisa. Qualquer coisa menos fazer portal de internet. E a gente descobriu isto da maneira mais difícil…"

  2. O caso não é a fama do php,não é o marketing…

    Mas essa aprensentação é surreal!!!

    Desde quando o Hello World em Java é daquele jeito?

    De onde tiraram que youtube,orkut e flicker são em php… Nao dá para comparar php com nada além de asp classico.

    O worldpress, sim é o mais usado no mundo, veja o source dele…um lixo, uma zona , uma bagunça o festival da POG é ali…

    Pior disso tudo é dizer e defender com argumentos vazios claro que a linguagem é OOP!! A linguagem não é nem no mínimo dos mínimos tipada…

    Evanglizar sem bom senso , só deteriora ainda mais a linguagem.

    Resumidamente, se a linguagem fosse tão boa, não haveria necessidade dessa apersentação.

  3. Os que gostam de Dot NET não gostam de programar, arraste e solte que o VS faz o resto. Não sei como o IIS faz para uma pagina aspx ser rapida, o lixo gerado é surpreendente.

    • "Os que gostam de Dot NET não gostam de programar, arraste e solte que o VS faz o resto. Não sei como o IIS faz para uma pagina aspx ser rapida, o lixo gerado é surpreendente."

      Creio que você deva conhecer muito pouco da plataforma .NET. Deve pensar que o Visual Studio é a base dessa plataforma e que o desenvolvimento nela se resume aos "drags and drops" da ferramenta.

      Gosto de PHP e, atualmente, desenvolvo em .NET. Vejo ambos concretizando grande projetos e tornando seus produtos finais viavelmente produtivos. Se verificar a plataforma .NET e como ela é usada profissionalmente vai ver que todos os "design paterns" formais e toda rigidez das boas práticas de desenvolvimento são aplicadas. Por falar nisso, dê uma pesquisada sobre ASP.NET MVC. Conheça os frameworks produtivos (WF, WPF, WCF, Entity Framework, etc..) e deixe de derramar opiniões livianas e superficias.

      Quero aproveitar para parabenizar o Leo Caseiro pela iniciativa de produzir um texto que, embora tenha pincelado sua preferência pelo PHP, busca combater o preconceito contra linguagens de programação. Concordo com a maioria dos posts aqui que dizem que "mais vale a qualidade do desenvolvedor". Código espaguete pode ser produzido em qualquer linguagem.

      Abraço a Todos

  4. A limitação esta no programador e não na Linguagem.

    Programo em PHP e sempre estou estudando mais e mais para fazer sempre melhor, ja passei pelo .NET e digo uma coisa, muito ruim, você so configura os componentes, arrasta e solta e coloca pouco codigo, sei lá, talves seja preconceito meu, mas esses programadores de hoje do "arrastar e soltar" vão ser chamados de configuradores no futuro.

    • Aos 11:45 da palestra

      o Igor Macabeu, do G1, afirmou: "…por que o java, o weblogic é uma ferramenta que serve para uma coisa. Qualquer coisa menos fazer portal de internet. E a gente descobriu isto da maneira mais difícil…".

  5. Helder, não sei se o G1 também é feito em WP. O que eu sei é que muitos blogs da globo.com são feitos com ele. Os que eu posso confirmar são os Blogs dos BBBs.

    Também estou procurando essa informação. Assim que souber, posto aqui e te mando por email!

    Abs

  6. Pingback: Ausente do Blog, presente no Twitter e estudando ZF | LeoCaseiro

  7. Olá Felipe!

    Usar de bom humor realmente não é FUD. Mas usar de bom humor para mascarar FUD é desonesto.

    Usar de caricatura em uma apresentação é manipular informação. Isso é FUD, mesmo com bom humor.

    Quanto a daemons, comparar daemons de log com daemons que operam a lógica de negócio é desinformar.

    No mais, não conheço tão bem o Flickr para defendê-lo. Se o Java for realmente usado apenas para gerenciar transferência de arquivos, não pode ser considerado. Nesse caso então a aplicação seria PHP sim.

    No entanto, se o caso fosse outro e o PHP fosse usado para a apresentação – como eu erroneamente havia entendido –, então não seria possível afirmar que a aplicação é PHP.

    []'s
    Cacilhas, La Batalema

    <abbr>Rodrigo Cacilhas postou em seu blog: Campanha 2009 – morte ao IE6</abbr>

  8. Olá Rodrigo,

    Não acho que usar de bom humor seja FUD.

    Aquele é um código disponível na Desciclopédia. E tem a função de uma caricatura, que é a de exagerar aspectos cômicos de uma pessoa ou uma coisa. No caso, a burocracia do Java que não é segredo para ninguém.

    Quanto ao Flickr, volto a discordar de você.
    Um daemon não é a aplicação real. O Linux tem daemons de log por exemplo e não são esses daemons que determinam o comportamento do sistema como um todo, são acessórios.

    Você pode ver na própria apresentaçao do Cal Evans, no slide 33 ele diz o seguinte: "Java just acts as an FTPD and passes all uploaded file to PHP for processing" ou seja o Java só está presente no tratamento de uploads de arquivos via outras aplicações que não seja a interface convencional Web. De maneira a se comportar apenas como um FTPD, que chama o PHP para executar a lógica de negócio. Conforme você pode observar em outros slides, como o 5.

    Um grande abraço!

    <abbr>Felipe Ribeiro postou em seu blog: Caching em PHP com uma técnica “obscura” mas muito eficiente</abbr>

  9. Olá Felipe!

    Valeu pelo «bom natal», só não vou desejar um pra você porque estou atrasado. =(

    Ainda assim, um próspero 2009! =D

    Quanto ao caso do Hello World, baseado em sua resposta acredito que a intenção realmente CONSCIENTE não tenha sido fazer FUD. No entanto levar as pessoas a acreditar que Java força os programadores a trabalhar daquela forma medonha é FUD, mesmo que inconsciente.

    Não gosto nem um pouco de Java – apesar de trabalhar com Java e C++ –, mas acho que devemos criticar as linguagens por seus reais defeitos. Ao inventar problemas que não existem, damos armas aos evangelistas fanáticos pela linguagem em questão e perdemos a respeitabilidade.

    Quanto a aplicações de desktop, não se zangue! Foi uma brincadeira.

    Agora, quanto ao Flickr, lamento discordar. A camada de apresentação do Flickr ser feita em PHP não significa que a aplicação seja PHP. Pessoalmente acho as camadas de negócio e de dados muito mais importantes para uma aplicação do que a de apresentação.

    Você pode mudar a camada de apresentação de uma aplicação, mas quando muda o negócio, raramente pode reaproveitar a apresentação. E no mais a lógica real de uma aplicação acontece nas camadas de negócio e de dados (é claro que não podemos desconsiderar a importância da apresentação).

    Então quando você diz que Java são apenas os daemons, esta é a aplicação real.

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

    Rodrigo Cacilhas postou em seu blog: Combustão humana espontânea

  10. Leo,

    Muito obrigado pela referência aos meus slides!

    Esclarecendo alguns comentários que o pessoal fez:

    @Rodrigo Cacilhas:

    1 – O Hello World de Java, só vai entender quem estava na apresentação… A idéia não é fazer FUD, o que se falava no momento em que aquele slide foi apresentado foi: Dizem que PHP leva o programador a fazer gambiarra e Java força a fazer a "coisa certa", sendo assim, esse seria um Hello World usando Design Patterns.

    2 – PHP não faz "janelinha" (ou até faz com PHP-GTK), porque diferente do Java, não é uma linguagem de propósito geral, mas uma linguagem específica de domínio, então esse tipo de comparação é infundada.

    @Alessandro

    1 – Idem o caso do Hello World, você não captou a questão do Orkut. O orkut *ERA* em .NET inclusive isso consta em letras pequenas na parte de baixo do slide. Mas foi reescrito em Java. E o front-end dele não é em .NET, as URLS terminadas em .aspx são apenas para manter a compatibilidade com links externos antigos, já que você pode configurar sua aplicação Java para funcionar com qualquer extensão

    2 – O Flickr *é feito em PHP*, de acordo com essa mesma apresentação que você citou, o que é em JAVA são apenas os DAEMONS que processam upload como um FTP. Já que PHP-CLI tem memory leaks.

    3 – Quanto ao YouTube eu não tenho certeza, tanto que não o cito na apresentação, mas o que eu sei é que links como http://www.youtube.com/browse.php funcionam, mas como o Google não dá cartaz ao PHP por ser a principal ferramenta do Yahoo, está o reescrevendo em Python.

    No mais, um grande abraço e bom natal a todos!

    <abbr>Felipe Ribeiro postou em seu blog: Reportagem do Jornal da Globo sobre falha no IE</abbr>

  11. Ah, sim!

    Assim faz até janelinha:

    import javax.swing.JOptionPane;
    public class HelloWorld {
    public static void main(String[] args) {
    JOptionPane.showMessageDialog(null,
    “hello”,
    “Hello, World!”,
    JOptionPane.PLAIN_MESSAGE);
    }
    }

    Como é que se faz isso em PHP mesmo?

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

    Rodrigo Cacilhas postou em seu blog: Motim grego

  12. A propósito…

    Ficou muito bonito o HelloWorld.java da apresentação, mas totalmente irreal. Esse aqui é um HelloWorld.java para quem realmente se importa com a verdade, não com evangelização:

    public class HelloWorld {
    public static void main(String[] args) {
    System.out.println(“Hello, World!”);
    }
    }

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

    PS: Não gosto de Java, mas FUD me irrita muito mais.

    Rodrigo Cacilhas postou em seu blog: Motim grego

  13. Olá Leo!

    Seu raciocínio é praticamente impecável e o artigo muito bom, mas parte de uma combinação de premissas corretas e premissas erradas.

    Nessa confusão fica fácil «comprovar» equívocos – é a mesma retórica que os nazistas usavam (não estou chamando você de nazista!).

    A menos que o programador seja um estudioso da arte da programação em si, a linguagem influencia muito a forma como o ele trabalha.

    Um programador que conhece e se vira em diversas linguagens não será influenciado por nenhuma delas, mas vai tirar proveito das peculiaridades de cada uma (é claro que sempre há uma preferida).

    No entando um programador de apenas uma ou duas linguagens – «javista», «pythonista», «php-ista», «rubyista» – será fatalmente influenciado pela ou pelas linguagens que conhece.

    É nesse ponto que PHP é uma linguagem de moleque e de gambiarras: as peculiaridades da linguagem conduzem o programador incauto a fazer bacalhau e atraem a molecada mais do que outras linguagem.

    Um programador mais experiente, com conhecimento de outras linguagens e conhecimento abstrato de programação – quero dizer, dissociado de uma linguagem específica – irá sem dúvida tirar melhor proveito de PHP e evitar os bacalhaus. No entanto esse tipo de programador tende a desinteressar-se por PHP – não todos, mas a maioria. Por isso o Felipe Ribeiro precisou fazer uma apresentação assim, esclarecendo alguns mitos.

    Se você pensar bem, qualquer linguagem pode ser «linguagem de moleque» ou «orientada a gambiarras», tudo depende da equipe de programadores que você tiver trabalhando, PRINCIPALMENTE .NET e Ruby.

    Assim sendo, no final das contas apenas estou dizendo que são os programadores quem fazem a linguagem.

    E Wellington: não achei agressivo o que o Leo disse sobre RoR… é a mais pura verdade, mas achei todo o restante de seu comentário perfeitamente relevante! =)

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

    Rodrigo Cacilhas postou em seu blog: Motim grego

  14. O uma coisa.. pela minhas fontes e vontes proximas dos desenvolvedores:

    YouTube nao é PHP, é Python.
    Orkut não é .NET é Front-end em .NET e Back-end JAVA.
    Flickr não é apenas PHP, a scalabilidade dele dele é feito em JAVA. veja o slide "Flickr And PHP".

  15. Acho agressivo dizer: RoR está na moda

    .NET necessita de licença, não é aberta a comunidade igual python, php, ruby, entre outros.

    Sistemas que foram feitos em visual basic são obsoletos, no futuro será raro achar alguém que dê manutenção, caso o cliente queira atualizar o seu sistema terá que mudar de tecnologia.

    Smalltalk: Avi Bryant aprendeu a linguagem (mesmo não estando na moda lol) entrou de cabeça na comunidade smalltalkers e desenvolveu Dabble DB.

    Uma linguagem de programação pode não vingar, mas sendo aberta a comunidade pode ser bem utilizada. Já com softwares licenciados, se aquela linguagem morrer, provavelmente o programador morre junto é o caso do vb, clipper.

    Na minha opinião ! repito na minha opinião ! um programador deve encontrar uma linguagem que ele ame, que seja prazeroso escrever aquele código, que seja poesia, concerteza no futuro você contribuirá muito para uma comunidade !

    Veja só quantos frameworks são desenvolvidos para PHP, .NET dependemos da microsoft para que ocorra novas atualizações, se o ruby fosse licenciado será que existiria o Rails hoje ?

    <abbr>Wellington Rocha postou em seu blog: Sendo dedurado pelas abas do firefox.</abbr>

  16. Eu acho que a linguagem influencia tanto como o desenvolvedor.
    Hoje é muito fácil se aprender uma linguagem pois existe muito conteúdo na Internet.

    Na verdade, o que realmente pesa, é saber fazer a escolha de qual linguagem utilizar para o projeto X.
    Cada linguagem tem sua característica e seu desempenho para determinadas situações.

    Se eu achar que a melhor ferramenta para desenvolver o sistema X ou Y é Java. Estudarei java para desenvolver.
    O mesmo vale para todas as linguagens e necessidades.

    Quanto aos moleques…eu diria que nada é feito para moleques, nenhuma linguagem. Mas infelizmente tem os sobrinhos e etc.
    Mas eu não critico eles, afinal, se não existirem maus profissionais, também não existem os bons e por ai vai.

    Ótimo post Leo!
    Abraços

    — Igor

    Igor postou em seu blog: Animate to Class v0.2

Deixe uma resposta